Buscar

Educação empreendedora no ensino superior


Olá, pessoal!

Como vocês sabem, atualmente estou responsável pela implementação e desenvolvimento do Centro de Empreendedorismo do UDF, vinculado ao nosso novo setor -- o Conecta!

Há dois documentos recentes, muito bons, que tratam sobre empreendedorismo nas universidades, e que gostaria de compartilhar com vocês.

O primeiro é o famoso Empreendedorismo nas Universidades Brasileiras, organizado pela Endeavor e pelo Sebrae. Algumas das principais descobertas dele foram:

  1. Universidades não possuem uma estrutura que apoia a jornada completa do empreendedor

  2. A universidade está desconectada do mercado

  3. A atuação da universidade não estimula a inovação e o sonho grande dos alunos

  4. Cerca de 1 em cada quatro alunos tem ou quer ter um negócio

  5. O universitário, no entanto, tende a demorar mais para empreender do que o brasileiro médio

  6. Ainda assim, a maior parte dos alunos já teve experiências empreendedoras

  7. E há uma relação direta entre essas experiências e a vontade de empreender

  8. Quem não quer empreender, pretende trabalhar no setor público ou em grandes empresas

  9. Inovar não está na cabeça do aluno

  10. Quem ainda não empreende, tem percepção maior de desafios quando comparado a quem já empreende

  11. Mentores são importantes para universitários empreendedores

  12. Há uma relação direta entre cursar uma disciplina de Empreendedorismo e ter perfil empreendedor

  13. O aluno valoriza iniciativas empreendedoras em sua universidade

  14. Professores afirmam que os temas das disciplinas são restritos e não abordam o necessário para preparar o empreendedor para sua jornada

  15. Poucos cursos oferecem disciplina de empreendedorismo

  16. Há diferenças regionais entre a oferta e a presença nas disciplinas de empreendedorismo

  17. Iniciativas de pesquisa em empreendedorismo apresentam bons resultados

  18. Em eventos é preciso colocar o aluno como protagonista

  19. A disparidade é grande na oferta de práticas extracurriculares e na infraestrutura para realizá-las

  20. Institucionalização de atividades empreendedoras não é prioridade para as universidades

  21. Há pouca interação entre as universidades e a comunidade nas questões de empreendedorismo

  22. Universidades oferecem muito foco em micro e pequena empresa, e pouco em startups

  23. Professores avaliam-se como lideranças ou contribuintes efetivos no movimento de educação empreendedora

  24. Nordeste possui professores menos engajados

  25. Administração é o curso com maior envolvimento na temática

  26. Universidade não é o principal fator de inspiração do aluno

O outro é o Índice das Universidades Empreendedoras, coordenado pela Brasil Junior, AIESEC, Enactus e pelo CsF.

Este documento consiste em um manual que pode ser analisado e aplicado por todos que vislumbram universidades mais empreendedoras, gerando um intercâmbio saudável entre os atores da tríplice hélice - governo, empresas e universidades - e desenvolvendo cada vez mais a sociedade.

Boa leitura e bom proveito!

Abraços,

Gabriel Cardoso

#educaçãoempreendedora #educaçãosuperior

30 visualizações
  • LinkedIn Basic Black
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Instagram

© 2014. Criado por Gabriel Cardoso. Conteúdo permitido para utilização desde que citada a fonte.